Sexta-feira Santa: igreja celebra solenidade em memória a morte de Jesus

A celebração das 15 horas é o ponto alto da Sexta-feira Santa, pois, segundo a tradição cristã, é o horário em que Jesus foi morto.

Missa Sexta-feira Santa/ Foto: Arquidiocese de Teresina

O segundo dia do Tríduo Pascal é celebrado nesta sexta-feira(29). A Sexta da Paixão, conforme o calendário da Igreja Católica, marca o momento da crucificação e morte de Cristo, e segundo explicou o padre Antônio Carlos, a igreja se recolhe em silêncio, e as imagens são cobertas, para que a sexta-feira seja entendida e celebrada, com o espírito de penitência, e recolhimento pela entrega de Jesus, que vai ser levado a morte.

“Por volta das 15 horas, a igreja se reúne para celebrar, não a missa, é o único dia do ano que não se celebra a missa, se celebra a Paixão de Cristo, a igreja celebra o momento em que Cristo é julgado, condenado, levado à cruz e morto na cruz. A igreja permanece em silêncio após esta celebração da paixão, e durante todo o sábado da vigília pascoal” disse o pároco.

A celebração das 15 horas é o ponto alto da Sexta-feira Santa, pois, segundo a tradição cristã, é o horário em que Jesus foi morto. Após a cerimônia, é comum que as igrejas realizem a via-sacra, onde os fiéis encenam o momento da crucificação, morte e ressurreição de Cristo.

Por fim, na Sexta da Paixão, os fiéis católicos são orientados a rezar, meditar a sua experiência de fé, a sua relação com Deus. De acordo com o padre Antônio Carlos, este é um momento de rememorar o sofrimento de Jesus, da sua morte,e também os sofrimentos pessoais de cada um.

📲 Siga o Portal ClubeNews no Instagram e no Facebook.
Envie sua sugestão de pauta para nosso WhatsApp ou Telegram
Confira as últimas notícias: clique aqui! 



∴ Compartilhar